A Copa do Mundo, que esse ano está acontecendo na Rússia, tem reunido os principais jogadores do mundo em partidas do mais alto nível. Porém, além de inovações táticas e técnicas, esse mundial também está marcado por grandes avanços tecnológicos relacionados ao esporte.

A primeira modernidade que vamos abordar nessa série de posts é o polêmico árbitro assistente de vídeo, ou simplesmente, árbitro de vídeo. O regulamento da FIFA definiu que 4 árbitros ficam na central de transmissão de televisão vendo e analisando os lances da partida. Eles podem alertar o árbitro em campo a qualquer momento em que ele cometer um erro grave, para que possa mudar a decisão e assim interferir o mínimo no resultado da partida.

Claro que o foco do texto não é no juíz que fica sentado assistindo os lances, mas sim toda tecnologia envolvida nas imagens que chegam até ele. Para começar, essas imagens são geradas pelas mais de 30 câmeras espalhadas por todos os 12 estádios sede da copa.

Imagem com a disposição das câmeras usadas para o VAR em um estádio da copa do mundo de 2018.
FIFA-football technology

Entre essas câmeras, 8 possuem tecnologia super slow-motion e 4 ultra slow-motion. Esses tipos de câmeras podem capturar até 1200 quadros por segundo, com definição 4K. Assim, os árbitros e os telespectadores não perdem nenhum lance.

Depois de captadas, as imagens viajam por cabos de fibra óptica até a sede de transmissão de TV em Moscou. Lá, os árbitros de vídeo possuem uma sala exclusiva com vários monitores mostrando todos os ângulos de cada lance.

Vale ressaltar que a tecnologia do árbitro assistente de vídeo ainda conta com um sistema especial para identificar lances de impedimento, praticamente acabando com os erros dos bandeirinhas. Esse sistema foi desenvolvido pela empresa Hawkeye e tem como finalidade gerar as linhas virtuais de impedimento nas imagem repassadas aos árbitros.

Para isso eles fizeram um software que gera linhas sobre o campo de forma automática baseando-se na posição dos pés dos jogadores. Além disso, o sistema gera um eixo perpendicular ao campo, usando como base a posição e a dimensão das traves. Dessa forma, é possível gerar uma linha de impedimento relacionada a partes dos jogadores que não estejam encostando no campo.

Toda essa tecnologia já teve interferência direta em muitos resultados desta copa, seja marcando pênaltis, mudando marcações de impedimento ou dando cartões vermelhos. E você, o que achou dessa mudança? Ela está realmente acabando com os erros da arbitragem?

Referências: olhardigital.com.br; football-technology.fifa.com; wnacinc.com; youtube.com/fifatv.

Publicado por Eumeca Jr. Engenharia Mecatrônica

Empresa júnior de engenharia mecatrônica, localizada no IFSC - Campus Florianópolis

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s