Durante o mês de abril, o coração da França sofreu com um desastre, as chamas sobre Notre-Dame se estenderam noite a fora, derrubando em segundos, monumentos que foram erguidos há mais de 600 anos, em cenas tão impressionantes quanto dramáticas. O ponto turístico mais visitado da França estava em meio a uma reforma, graças a isso as estátuas de bronze que enfeitavam o telhado foram removidas, mas a torre construída em 1860, e o telhado que ainda continha madeira de 1160 não conseguiram escapar da tragédia.

    Em meio a cinzas, uma oportunidade para mostrar ao mundo a diferença que as tecnologias mecatrônicas podem fazer em situações de perigo. Durante a contenção do incêndio, uma poderosa ferramenta usada pelos bombeiros foi o robô Colossus, movido por esteiras e capaz de carregar até 540 kg, mais que suficiente para transportar vítimas. No momento que a torre ameaçou cair mas ainda havia fogo dentro da catedral, ele entrou em ação garantindo a segurança da equipe de resgate. Visto que é imune a fogo e água, e pode ser controlado a uma distância de 300m.

Também foram utilizados dois drones com câmeras de alta definição para identificar os pontos críticos, e melhorar o posicionamento das mangueiras da equipe de resgate. graças a essas tecnologias os dois campanários foram salvos, e um estrago maior foi evitado.

robô Colossus em ação

Com as chamas já contidas, a comoção mundial gerou doações que chegam a bilhões de reais para a restauração. Ao ser questionada sobre esse esforço coletivo a diretora da fundação nacional de preservação histórica de Washington, Khaterine Malon France disse que “será uma intersecção muito interessante entre tecnologia e trabalho artesanal”, o que de fato será, com tanto investimento, as tecnologias mais avançadas nesse aspecto certamente serão postas em prática. Mas como lembrar de tantos detalhes?

    Os profissionais envolvidos estudam diversos arquivos sobre a catedral. Um dos projetos citados para ajudar na restauração foi o video game “Assassins Creed: Unity”, da Ubisoft, que em 2014 trouxe uma reprodução quase perfeita de como a igreja era durante a revolução francesa, o design em 3d feito pela level designer Caroline Miousse, levou quase dois anos para ser concluído. Ao serem questionados sobre o uso direto desse material para a restauração um representante da empresa respondeu o seguinte: “É importante ter em mente que fizemos para o jogo não foi uma reconstrução científica, mas uma visão artística. Apesar de querermos ser muito preciosos com os detalhes, existem algumas diferenças em termos de escala.” Apesar de não haver uma contribuição direta em relação a memória, a empresa contribuiu de outras formas, o primeiro movimento foi a doação de 500 mil libras e a distribuição gratuita do jogo por tempo limitado.

Então qual seria a solução para essa restauração? A mecatrônica também apresentou essa resposta. Em novembro de 2018, morreu o historiador belga Andrew Tallon, mas deixou um legado que pode durar séculos, foi responsável por mapear digitalmente diversas catedrais pelo mundo de forma extremamente precisa, inclusive Notre-Dame.

    O mapeamento demorou quase uma década e pode precisar até mesmo o material utilizado e o número de reformas que aquele local sofreu. Essa tecnologia consiste em posicionar lasers para mapear cada parte do edifício através de um sistema de envio e recebimento de luz, parecido ao que os morcegos fazem através de ondas sonoras, a contagem do tempo desde o envio da luz até o recebimento do reflexo, medindo assim a distância percorrida e, através da união desses dados gerar uma maquete digital com uma precisão absurda, inclusive com imagens detalhadas de cada decoração esculpida. Ao todo a catedral gerou um bilhão de pontos de dados. A seguir temos um trecho de uma reportagem da National Geografic no qual Tallon explica o mapeamento de uma catedral de Washington onde o mesmo sistema foi utilizado.

    Felizmente, relíquias que ficavam dentro da capital saíram sem grandes danos. Foi uma verdadeira obra prima de engenharia ter um material tão completo e tanta tecnologia para evitar uma maior destruição. Dessa forma,  espera-se que Notre-Dame sirva de exemplo, para que outros monumentos históricos pelo mundo também tenham a devida atenção. Achou interessante a informação? Então não esqueça de comentar, compartilhar e dar uma olhada nos nossos serviços.

Referencias:

metro.co.uk, epocanegocios.globo.com, noticias.uol.com.br/tecnologia, 1.folha.uol.com.br/mundo, bbc.com/news/,meiobit.com, record.pt, forbes.uol.com.br, epocanegocios.globo.com

Publicado por Eumeca Jr. Engenharia Mecatrônica

Empresa júnior de engenharia mecatrônica, localizada no IFSC - Campus Florianópolis

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s